Sindiquinze participa de reunião do GT que analisa retorno às atividades presenciais na 15ª Região

O presidente do Sindiquinze, Ivan Bagini, participou, na tarde desta segunda-feira, dia 29 de junho, da reunião do Grupo de Trabalho instituído pelo TRT-15 para análise das condições sanitárias e de saúde pública para o retorno às atividades presenciais na 15ª Região.

O encontro, que aconteceu por videoconferência, teve a presença de representantes da Administração, além de outras entidades representativas dos servidores, magistrados e Ministério Público do Trabalho.

Em vídeo gravado ainda nesta segunda-feira, Ivan Bagini explica que há consenso entre os integrantes de que não existe qualquer previsão para as atividades presenciais no âmbito da 15ª. “Esse retorno depende da evolução da pandemia dentro do Estado de São Paulo”, explica.

Ainda de acordo com o presidente do Sindiquinze, o Tribunal realiza um levantamento individual sobre as condições de cada município para estabelecer os critérios para o retorno.

Durante a reunião desta segunda-feira, o sindicato e as demais entidades representativas participantes apresentaram uma proposta para que o trabalho presencial seja retomado a partir do mês de setembro, data estabelecida pelo Governo para a volta às aulas no Estado. “Essa medida abrange também os servidores que possuem filhos e filhas em idade escolar”, ponderou Ivan.

EPIs e demais procedimentos de segurança

A concessão de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) como barreiras de acrílico, máscaras cirúrgicas descartáveis recomendadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), além da aquisição de produtos para higienização, adesivação de pisos, reprogramação de elevadores, entre outras iniciativas de combate à contaminação do novo coronavírus são os temas principais em debate no Grupo de Trabalho do TRT-15.

Segundo informações repassadas pelo médico do trabalho e infectologista Dr. William Barros de Abreu, o Tribunal possui um estoque de materiais como luvas, máscaras e álcool em gel para os próximos três meses. De acordo com ele, a ideia é de distribuição de 30 máscaras cirúrgicas e 30 luvas por mês para cada servidor, além de quatro frascos de álcool em gel por lotação.

Barreiras acrílicas serão adquiridas e utilizadas por servidores nos balcões e também durante as audiências. Dr. Willian explicou que a máscara adquirida pelo TRT-15 possui tripla camada, com 98% de proteção. Acrescentou que a máscara N95 só é indicada para contenção de fluídos e por causa dessa característica, não se aplica à necessidade dos servidores e magistrados.

Outras indicações feitas nesta segunda-feira para o retorno presencial foram sobre a restrição de acesso nas VTs e Fóruns com medição de temperatura de todos que estiverem nos prédios, além da obrigatoriedade do uso de máscara e desinfecção diária de todas as dependências e em cada intervalo de audiências.

A importância da constatação da segurança sanitária e a manutenção do trabalho remoto foram reforçados por diversas vezes pelos integrantes da reunião.

“O Sindiquinze permanece empenhado junto à Administração para que quando for o momento, esse retorno possa ocorrer da maneira mais segura e transparente para todos os servidores, magistrados, colaboradores e jurisdicionados”, finaliza o Ivan.

ASSISTA AQUI o vídeo completo com as ponderações do presidente do Sindiquinze

Por Caroline P. Colombo

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *