Sindiquinze confirma delegação no Ato Nacional em Defesa da Justiça do Trabalho, dia 5/02, em Brasília

Com uma delegação de dirigentes e servidores, o Sindiquinze participará na próxima terça-feira, dia 5 de fevereiro, a partir das 14h, do Ato Nacional em Defesa da Justiça do Trabalho e dos Direitos Sociais, no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados. O Presidente do Sindiquinze e Coordenador-Geral da Fenajufe, Zé Aristéia, vai liderar a delegação.

Além da Fenajufe, fazem parte da organização do ato a Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho (Anamatra), a Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), a Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas (Abrat) e o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Com expectativa de participação em torno de 400 pessoas no ato, mais de 20 sindicatos da base da Fenajufe confirmaram participação, além de toda a diretoria executiva.

Programação

Além dos pronunciamentos do representante de cada uma das entidades organizadoras (Fenajufe, Anamatra, Abrat, ANPT e OAB), dirigentes da Associação dos Magistrados Brasileiros representante da AMB, da Frentas e Organização Internacional do Trabalho (OIT) também vão falar. Ao final, a plenária debaterá a aprovação da Carta de Brasília, que será encaminhada a todos os parlamentares e divulgada por todas as entidades.

O Ato em Defesa da Justiça do Trabalho e dos Direitos Sociais terá quatro premissas norteadoras:

(1) são falsas as alegações de que a Justiça do Trabalho existe somente no Brasil;

(2) a Justiça do Trabalho não deve ser “medida” pelo que arrecada ou distribui, mas pela pacificação social que promove;

(3) a Justiça do Trabalho tem previsão constitucional e não pode ser suprimida por iniciativa do Executivo ou do Legislativo e;

(4) a supressão ou absorção da Justiça do Trabalho representaria grave violação à cláusula constitucional e convencional de vedação do retrocesso social.

Junte-se à luta contra o fim da Justiça do Trabalho usando em todas as suas redes sociais a #emdefesadaJusticadoTrabalho.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *